CAIXA Cultural apresenta:

Cinema Holandês

textos

Paul Comenencia
Cônsul-Geral dos Países Baixos no Rio de Janeiro

A história da permanência de holandeses no nordeste do Brasil, entre 1630 e 1654 , com destaque para as realizações de Maurício de Nassau, é bem mais conhecida do que a da imigração holandesa propriamente dita, que só teria início bem mais tarde, a partir de meados do século 19. Os primeiros grupos de holandeses chegariam a partir de 1858 ao Espírito Santo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, estabelecendo-se, em geral, em colônias com outros imigrantes europeus.

Em 1909, um grupo de agricultores holandeses, atraído pela perspectiva de encontrar terras férteis numa região de clima ameno, veio para a colônia Gonçalves Júnior, próxima à cidade de Irati, no Paraná. Os holandeses encontraram, no entanto, uma área de mata fechada, onde o cultivo só seria possível após o desmatamento. Doenças tropicais causariam muitas mortes e o fracasso dessa primeira empreitada, superada, dois anos depois, pela construção da estrada de ferro entre Curitiba e São Paulo e a persistência de três famílias holandesas. A Brazil Railway Company oferecia terras e algumas vacas leiteiras para os colonos produzirem alimentos para os funcionários da estrada de ferro. Assim nascia, em 1911, a colônia de Carambeí, que cresceu e prosperou na produção de queijos e lacticínios, criando, em 1925, a primeira cooperativa de produção do país, a Sociedade Cooperativa Hollandeza de Lacticínios.

Quando a Presidente Dilma Rousseff proclamou o Ano da Holanda no Brasil em comemoração ao centenário das colônias agrícolas holandesas no país, eu quis realizar um evento que mostrasse a cara da Holanda. Nada melhor do que uma Mostra de Cinema Holandês para dar uma ideia da multiplicidade de perfis dessa cara, cuja forma é ditada pela sociedade multicultural; seus ares diferenciados, oriundos da miríade de peculiaridades e aspectos controversos; e o charme das tradições enraizadas, que seguem apesar do avanço tecnológico.

Na época, após inúmeras parcerias muito bem sucedidas, não tive dúvidas em entregar a produção nas mãos capazes de Paula Alves e Eduardo Cerveira, do Instituto Femina de Cultura e Cidadania, que mantêm estreito contato com produtoras de filmes e organizadores de festivais nos Países Baixos. Tenho certeza de que a seleção dos filmes não será, apenas, informativa, mas dará o que pensar ao público presente. Da mesma forma que a curadoria segue a lógica daquele que a assina, assim também a produção cinematográfica, que não é um mero espelho da cultura em que ela nasce, mas carrega o olhar de todos aqueles que dela participam. Serão animações, documentários, longas que trarão as múltiplas marcas que lhe deram existência e variarão entre o irreverente e o tradicional, o espirituoso e o sombrio, o poético e o estereótipo.

Tenho certeza de que a organização do evento será impecável, tanto mais por ser abrigada na Caixa Cultural. Aproveito para agradecer a esta casa pelo interesse que demonstrou na Mostra de Cinema Holandês e a generosidade com que nos recebe. Somando os esforços de todos os envolvidos na realização desta Mostra, espero que ela seja um sucesso e que o público se divirta, se emocione, se surpreenda e se questione a cada filme; que cada imagem permita que o público se aproxime um pouco mais de nosso pequeno país com uma grande história de parceria com o Brasil, uma parceria que cresce a cada dia que passa.

Paul Comenencia
Consul-General of the Netherlands in Rio de Janeiro

The history of the Dutch permanence in the northeast of Brazil, between 1630 and 1654, highlighting the accomplishments of Maurício de Nassau, is much better known than the properly said Dutch immigration, which would only begin much later, in the middle of the nineteenth century. The first Dutch groups started to arrive by 1858 to Espírito Santo, Santa Catarina & Rio Grande do Sul, generally establishing themselves in colonies with other European immigrants.

In 1909, a group of Dutch farmers, attracted by the perspective of finding fertile land in a region with mild climate, came to the Gonçalves Júnior colony, near the city of Irati, in Paraná. The Dutch found, however, an area of dense woods, where harvesting would only be possible after deforestation. Tropical maladies caused many deaths and the failure of this first enterprise, overcome two years later by the construction of the railroad between Curitiba and São Paulo, and the persistence of three Dutch families. The Brazil Railway Company offered land and some milking cows for the settlers to produce food for the railroad workers. Thus in 1911 the Carambeí colony was founded, which grew and prospered in the production of cheese and dairy products, creating in 1925 the first production cooperative in the country, the Dairy Dutch Cooperative Society.

When President Dilma Rousseff proclaimed the Year of Holland in Brazil in celebration to the centennial of the Dutch farming colonies in the country, I wanted to make an event that would show the face of Holland. Nothing better than a Dutch Film Showcase to give an idea of the multiplicity of profiles of this face, whose form is dictated by the multicultural society; its differentiated airs, derived from the myriad of peculiarities and controversial aspects; and the charm of the rooted traditions, which follow on despite the technological advances.

At the time, after several very well-succeeded partnerships, I had no doubt in handing the production to the capable hands of Paula Alves and Eduardo Cerveira, of the Femina Institute for Culture and Citizenship, which keeps straight contact with film companies and festival organizers of the Netherlands. I’m certain that the film selection will not only be informative, but will provoke thought to the participating audience. The same way that the curatorship follows the logic of who is signing it, so does the film production, which is not a mere mirror of the culture in which it is made, but carries the look of all who participate in it. There will be animations, documentaries, features that will bring multiple marks that gave them existence, and will vary between the traditional and the irreverent, the witty and the shady, the poetic and the stereotype.

I am sure that the organization of the event will be impeccable, even so much for being hosted at Caixa Cultural. I’ll take hold of the moment to thank this house for the interest it demonstrated for the Dutch Film Showcase and for the generosity in which it receives us. Adding the efforts of all involved in the making of this showcase, I hope that it will be a success and that the audience will enjoy, be moved, surprised and question itself in every film; that each image permits the audience to be bit closer to our small country with a big history of partnership with Brazil, a partnership which grows everyday.



Instituto de Cultura e Cidadania Femina
Paula Alves & Eduardo Cerveira

Quando fomos convidados pelo Consulado dos Países Baixos no Rio de Janeiro para nos juntarmos a eles na idealização e realização de uma mostra de cinema no âmbito das comemorações do Ano da Holanda no Brasil, nos sentimos honrados e desafiados. Afinal, o objetivo era apresentar aos espectadores brasileiros, através da projeção de filmes, um pouco da Holanda e sua sociedade multicultural.

A produção audiovisual holandesa se destaca por sua qualidade, gerando cineastas de renome e obras premiadas nos principais festivais internacionais e vencedora de sete Oscars. Se no início o destaque era pela primazia na produção documental, o cinema holandês viveu sua fase mais bemsucedida durante os anos setenta, com diversos sucessos de público. A partir de meados da década de noventa, o governo começou a incentivar a produção, e com filmes orientados ao público jovem conseguiu conquistar de volta a viabilidade comercial da produção holandesa. Um panorama desse Cinema Holandês contemporâneo é o que a Mostra oferece aos espectadores brasileiros.

Além da apresentação de longas-metragens, convidamos diversos curadores a programarem sessões especiais das suas instituições de origem, entre as mais representativas dos Países Baixos. O programa Nederlandse Film en Televisie Academie é composto de filmes da principal escola de cinema holandesa. O programa Além das Fronteiras terá os melhores curtas-metragens holandeses exibidos nas duas últimas edições do International Film Festival Rotterdam, o mais importante do país. E também animações com as obras do Nederlands Instituut voor Animatiefilm e o experimental com os trabalhos do Nederlands Instituut voor Mediakunst. Completam as atrações uma Sessão Infantil e o programa Realizadoras de Roterdã, com uma seleção do cinema feminino dessa cidade.

A Mostra de Cinema Holandês é uma iniciativa do Consulado Geral dos Países Baixos no Rio de Janeiro em parceria com o Instituto de Cultura e Cidadania Femina, com patrocínio da Caixa Econômica Federal e do Ministério das Relações Exteriores dos Países Baixos. Agradecemos a todos que contribuíram para a realização desta mostra.

Convidamos a todos para participarem de nossas atividades ao longo dessa semana, e conhecerem um pouco mais sobre a produção cinematográfica holandesa atual.

Paula Alves & Eduardo Cerveira
Femina Institute for Culture and Citizenship

When we were invited by the Consulate of the Netherlands in Rio de Janeiro to join them in planning and organizing a film showcase in the scope of the celebrations of the Year of Holland in Brazil, we felt honored and challenged. After all, the objective was to present to the Brazilian spectators, through the screening of films, a bit of Holland and its multicultural society.

The Dutch audiovisual production is highlighted for its quality, generating renowned filmmakers and works awarded at the main international festivals and winner of seven Oscars. If in the beginning the highlight was for the prominence at the documentary production, Dutch cinema had its most wellsucceeded phase during the seventies, with various box offices. From the middle of the nineties the government started to stimulate the production, and with films oriented to young audiences managed to conquer back the commercial viability of the Dutch production. A panorama of this contemporary Dutch Cinema is what the showcase offers to the Brazilian spectators.

Besides the presentation of feature films, we invited several curators to program special screenings of their institutions of origin, among the most representative of the Netherlands. The Netherlands Film and Television Academy program is composed of films of the main Dutch film school. The Beyond Borders will have the best Dutch short films exhibited at the last two editions of International Film Festival Rotterdam, the most important of the country. And also animations with the works of the Netherlands Institute for Animation Films and the experimental with the Netherlands Institute for Media Art. The attractions are complete with a Children’s screening and the Rotterdam Women Filmmakers program, with a selection of feminine films from this city.

The Dutch Film Showcase is an initiative of the Consulate- General of the Netherlands in Rio de Janeiro in partnership with the Femina Institute for Culture and Citizenship, with sponsorship of Caixa Econômica Federal and of the Dutch Ministry of Foreign Affairs. Thank you to all who contributed for the making of this showcase.

We invite everyone to participate in our activities during this week, and to know a bit more about the current Dutch film production.



Eye Film Institute Netherlands

O EYE Film Institute Netherlands é o novo instituto para cinema nos Países Baixos. Ele abriga uma coleção extensa e conhecida internacionalmente de mais de 37.000 títulos. EYE tem excelência reconhecida mundialmente em restauração, pesquisa, programas educacionais, e promoção e marketing internacionais.

EYE International é o departamento do EYE responsável pelo marketing e promoção internacional do cinema holandês. Oferece uma ampla variedade de serviços para realizadores e produtores holandeses, para aumentar a percepção e visibilidade do cinema holandês no mundo inteiro. EYE está envolvido em todos os estágios da vida de um filme holandês no exterior, da seleção para reconhecidos festivais de cinema a sua apresentação em mercados internacionais. Fornece ao circuito cinematográfico internacional informações das atividades atuais dentro da indústria cinematográfica holandesa.

EYE Film Institute Netherlands is the new institute for film in the Netherlands. It houses an extensive, internationally recognized collection of more than 37,000 film titles. EYE has world-renowned expertise in restoration, research, educational programmes, and international promotion and marketing.

EYE International is the department within EYE that is responsible for the international marketing & promotion of Dutch films. We offer a wide variety of services for Dutch filmmakers and producers to enhance the perception and visibility of Dutch filmmaking worldwide. EYE is involved in every stage in the life of a Dutch film abroad, from its selection at a recognized film festival to its presentation at international markets. It provides the international film circuit with information on current activities within the Dutch film industry.